Juro do cartão de crédito vai a 339,5%: como sair de vez da dívida?

Os juros estão cada vez mais altos no país e o cartão de crédito não ficou de fora deste aumento.

Os juros estão cada vez mais altos no país e o cartão de crédito não ficou de fora deste aumento. Em setembro, o rotativo do cartão de crédito atingiu o maior patamar desde agosto de 2017, com uma taxa de 339,5% ao ano. Na sequência aparece o parcelamento da fatura com 168,7% ao ano e o cheque especial com 128,6. Com isso, muitos brasileiros se perguntam como sair das dívidas. Confira dicas especais de especialistas se este é o seu caso.

Saiba exatamente quanto está devendo

É importante saber primeiramente quanto está devendo. Contate a administradora do cartão para pedir o CET (Custo Efetivo Total). Somente com isso, você saberá exatamente o quanto deve. O Procon-RJ explica que isto é um direto de todos os consumidores.

O economista e professor do Ibmec Gilberto Braga, instrui as pessoas a somarem todas as dívidas para descobrir o quanto seria necessário para quitar a dívida à vista. Esta dica é válida, especialmente para quem tem mais de um cartão, que pode ser de crédito ou de débito.

Confira suas finanças a fundo

Após saber o tamanho de sua dívida com o cartão de crédito, o momento agora é o de descobrir quanto é possível reservar todos os meses para pagar essa dívida. Faça uma planilha no computador ou em um caderno para ter uma visão geral de suas finanças. É importante ter o controle de tudo que se ganha, os gastos fixos e os eventuais.

Revise seus gastos

Será que posso cortar essa despesa? Esta é uma pergunta que deve ser feita neste momento. Observe suas finanças e provavelmente você vai encontrar gastos que podem ser evitados, te ajudando a economizar.

Nesta revisão você também terá a noção de quando suas finanças saíram do controle. Entender esta origem te ajuda a evitar o mesmo problema novamente.

Negocie a dívida

Após estes primeiros passos, é importante entrar em contato com o cartão e tentar uma negociação especial com a administradora. Uma dica primordial é aceitar a proposta se ela realmente estiver dentro das possibilidades do consumidor. Caso contrário, o consumidor pode se atrapalhar novamente.

Links Úteis